domingo, 28 de agosto de 2011

Um dia em 5 atos

Um (ao ler os jornais pela manhã)

Em dias de tormenta
a poesia
me alimenta.

Dois (ao embarcar no metrô pela manhã)

Não uso walkman
ou seus descendentesmodernos
Tampouco uso óculos escuros,
olhos as pessoas nos olhos
querendo escutar o que elas tem a me dizer.

Três (no trabalho)

Realizo,
generoso que sou com minha mais-valia.

Quatro (ao ir embora)

Sonho acordado
com minha particular Passárgada.

Cinco (à noite)

Escuto,
e vejo.
Se falo? Sempre rijo.


R. Couto

*Desenho de Gérard DuBois

2 comentários:

Raul Motta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Raul Motta disse...

O [dia] todo
inteiro
vivido
sentido
em partes –
exatamente como nós?

.

Perfeito!

Abs.!