segunda-feira, 1 de março de 2010

Como passar em concurso público? (E depois ser promovido no mesmo)

Deixemos a hipocrisia de lado: quem não sonha com uma “boquinha” regular, sem o estresse do desemprego e com os vários benefícios sociais, tão comuns aos empregos governamentais?
Por isso, depois de APROVADO em três concursos, atualmente (bem) empregado graças a um deles e diante da sempre chata pergunta dos amigos e parentes: Estudou muito? – Resolvi colocar no papel algumas dicas que considero realmente de utilidade. Andei pesquisando em alguns sites e aparecem sempre as mesmas bobagens de auto-ajuda e neurolinguística estilo Lair Ribeiro, ou seja: manter o foco, acreditar no seu sonho, etc. Alguém aí quer escutar ainda estas porcarias? Se quiser, clicou no lugar errado, mas se quer realmente (pequenas) dicas ÚTEIS, continue comigo:

1) A vida não é só o concurso. Isso mesmo. A vida segue nos bares, nos shows, nos namoros e tudo de bom que ela nos dá. Se você fica obcecado demais, no dia D, poderá estar numa tensão tão grande, que lhe dará o tradicional “branco”. Assim, relaxe. Claro que na véspera é para pegar leve... . Isso já me valeu pontos preciosos.
2) Não faça a prova de barriga cheia. Você estudou para esse dia, então se prepare para o combate só com o seu cérebro, seja como um lutador de boxe, afinal você não vai querer fazer cocô no meio da prova, né? Isso já me valeu pontos preciosos.
3) Não faça a prova de barriga vazia. Você tem que pensar na prova e não na fome. Leve uma barra de cereal (ou outra coisinha leve para comer) e quando chegar ao meio das questões dê uma paradinha, beba uma água, enfim, respire, como o intervalo de uma partida de futebol ou um round de luta. Descanse breves minutos e reavalie sua estratégia. Isso já me valeu pontos preciosos.
4) Qual a matéria que tem em TODAS as provas? PORTUGUÊS ! Se você for bom nela, estará garantindo, em média 20% de acertos, assim: LEIA! LEIA! LEIA! Que é a melhor maneira de aprender o nosso idioma, senão deixá-lo incrustado na pele, feito tatuagem. Esqueça as regras (se você as sabe, melhor), pois ao adquirir o hábito de ler, saberá quando algo estiver certo ou errado, talvez não saiba o porquê, mas saberá, saberá. E isso basta para marcar o X. Claro que leva tempo, mas quem mandou só ver novela? Isso quase sempre me valeu gabaritar a parte de português.
5) Faça uma prova anterior do mesmo concurso, pois provavelmente será muito parecida. Isso já me valeu passar TRÊS vezes.
6) Saiba quem está organizando a prova: CESPE, CESGRANRIO, etc. Vale o chavão da “Arte da Guerra”: “Conheça seu inimigo...” Saiba que tipos de questões eles gostam de colocar, assim numa prova para o emprego X, eles podem utilizar uma questão parecida com a do emprego Y. Isso já me valeu passar TRÊS vezes.
7) Não estude matérias grandes. Se determinada parte do conteúdo do programa for muito extensa, pule esta parte, afinal você acha que irá aprender “aquilo tudo” em alguns meses? Foque nas partes menores, pois as questões valem os mesmo pontos. Dificilmente você conseguirá se preparar para 100% das questões, desta forma, já descontando a preparação de português, que deve ser continua, equivalendo a 20% (média), selecione os outros 60% do programa e esteja preparado para 80% da prova. Isso já me valeu passar TRÊS vezes.
8) A diferença entre o primeiro classificado e o último, desde que ambos sejam chamados, é nenhuma. Apenas o primeiro, se convocado antes, irá receber o salário primeiro, mas depois, “lá dentro”, vale ser o “mais safo”, para as promoções e comissões de cargo, pois é notório que o “nerd” que foi o primeiro colocado não teve muita “esquina” na sua criação. Mas vale ser um bom papo e um bom copo, do que determinados diplomas. Isso já me valeu TRÊS promoções...

7 comentários:

LuCordeiro disse...

Oi,Renato!
Li,com cuidado,o seu texto e sei que está coberto de razão.Tb passo nos concursos que faço pq gabarito no português.Depois,uso a tática de estudar o que me é mais familiar.Deixo o que não sei mesmo,para lá. Assim passei nos vestibulares.Concursos públicos eu nunca fiz,a não ser concurso de títulos.E levei! Me lembro que na véspera do vestibular fui à praia pra relaxar.E deu tudo certo.Não sou nerd,afff...Mas gosto de estudar e ler tudo o que me cai nas mãos.Se pudesse,seria estudante profissional:adoro o ambiente acadêmico!No mínimo,é divertido.Fiz 2 faculdades (nenhuma paga!)e passei no vestibular de uma terceira.Em segundo lugar.Mas desisti pq o nível era tào ruim,mas tão ruim,que me senti envergonhada por ser confundida com os debilóides que "estudavam" ali.Essa era ppp (papai pagou,passou).Eu queria fazer jornalismo.Pra quê? Sei lá,só para ter motivos para escrever.
Agora tenho a internet e essa necessidade está satisfeita.Escrevo direto,leio tudo,só falta o ambiente acadêmico.Sofro do que chamo carência intelectual.Essa é difícil de preencher.
Mas na internet encontrei mta gente que PENSA.Isso é ótimo. Mas tb tem aquelas pessoas que fazem uma leitura superficial do que escrevemos e depois deixam cada comentário digno de quem não sabe fazer interpretaçào de texto.Isso é irritante.mas,fazer o quê? Explicar o óbvio? Nananinanão!!!
bjsss. Estou com um conto um tanto iconoclasta... rsss... na Baronesa. Aparece por lá,ok?

Jens disse...

Oi Renato.
As palavras (o Português) me salvaram em inúmeras ocasiões, inclusive no vestibular da PUC.

PS: nas provas não dá pra levar um uisquinho de contrabando, pra acalmar os nervos?

Um abraço.

Renato Couto disse...

Lu: Esta carência intelectual, vários de nós, "interneteiros" possuímos, assim, não se preocupe, você não está solitária...

Jens: O velho Mississipi fica sempre (com moderação) para a véspera, garantindo um sono de bebê...

Marcelo F. Carvalho disse...

Renato, tremenda aula, cara!
____________________________
OBS: ainda bem que eu bebo! hehehe

Abraço forte

LuCordeiro disse...

Oiê...ainda este post? To no aguardo de novidades!
bjssss...

Cantinho do Noob disse...

Está muito bom o seu post. Quer dizer que além de "me quebrar estudando" para um concurso, devo puxar o saco de alguém para ser ser promovido? Você poderia elaborar um pouco mais esta idéia para mim? Pensei que as promoções fossem por tempo. Não por "papo".

Obrigado ^^

Renato Couto disse...

Noob: Existe promoção "por tempo",sim, mas depois de muito tempo...No meu caso, preferi as mais rápidas, não por "puxar saco", mas por me mostrar mais apto. Marketing pessoal, Pró-ativo, etc...Ok?