sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Um longo amanhecer - cinebiografia de Celso Furtado

"Eu me pergunto:quem manda neste país? Por que se conservam estas taxas de juros de fantasia, que sangram o país, deixando pequena margem para o crescimento? É difícil dirigir um país como este."

Indagações de Celso Furtado, no documentário "Um longo amanhecer", cinebiografia do mesmo, dirigida por José Mariani.

6 comentários:

Prof Toni disse...

Um dos meus professores na faculdade de Geografia fez-me prestar mais atenção ao Celso Furtado e ao Ignácio Rangel. Hoje admiro-os. Será que teremos mais alguns desta cepa?

CRIS disse...

E os impostos? Cada nota de projeto de arquitetura expedida 22% de impostos que não repasso ao cliente.A concorrência está solapando a competência.

Bj

Renato Couto disse...

Prof, respondendo sua pergunta, com as devidas proporções, trago trecho de uma entrevista do economista CARLOS LESSA:
"Acho que o Lula sabe o que é povo. Instintivamente, ele faz gestos e propostas que coincidem com o ânimo popular. Mas ele não tem a menor idéia do que é nação e Estado nacional...Costumo dizer que o Brasil deixou de ser a República de Empreiteiras para ser o Império dos Banqueiros. E a empreiteira é mais conveniente, porque empurra o País para adiante. O presidente Lula fica deslumbrado pelo aplauso mundial. Ele é aplaudido por quem? Pelos parceiros dos banqueiros brasileiros."

Renato Couto disse...

Cris: O que incomoda, não é o imposto alto e sim a pouca contra-partida social que o mesmo deveria gerar. Afinal os impostos basicamente tem 2 funções: cobrir o gasto do governo e promover a dita distribuição de renda, não diretamente (tipo bolsa-família), mas sim como instrumento de investimento (saúde e educação). Daí o adágio entre a turma que administra: Quando o imposto é injusto a sonegação é justa.Abraços de mais um "easy rider", afinal, born to be wild...

Jens disse...

Quem manda neste pais? Uma pista: é velho, arrogante, belicista, usa uma ridícula cartola ornada por listras e estrelas e atende pela alcunha de Uncle Sam.
Um abraço.

loba disse...

Eu gostaria de ver a resposta direta e objetiva deste economista. Pode ser?
Por enquanto, antes de te ler, continuo acreditando que as garras estadunidenses ainda estrangulam este país (e tantos outros) na sua indomável fome de poder. Mas estou aberta à sua opinião! rs...
Beijocas