sábado, 12 de julho de 2008

Confissão

Às vezes crio coragem e escrevo, às vezes crio muito mais coragem e confesso...

Eu não faço poemas todo dia
Não gasto à toa minha poesia
Guardo
Como um vinho antigo
Compartilho
Como um jantar com velas
Gozo
Esperando a hora certa.

R. Couto

2 comentários:

loba disse...

Compartilhei degustando com a reverência que merece um bom e antigo vinho. Espero que a adega continue a verter preciosidades como esta. Ainda que continue sendo raridades de colecionador ciumento! rs...
Beijo!

Renato Couto disse...

Hehee..Assim me encabula, daqui a 5 anos coloco outro.
Obrigado pelo elogio