quarta-feira, 6 de agosto de 2008

1986

Pedaço de sol
Pedaço de luz da manhã
Vem toda sã
Vem dançar sobre o meu coração
O sexo não será o mesmo sem nós

Você me trouxe até aqui
e agora me deixa só
(apenas com uns poemas tolos trancados na gaveta)

Me esquece
e
vai.

R. Couto

8 comentários:

Tânia disse...

Sempre digo que não sei poetar, somente sentir...

Dizer adeus sempre é difícil; não importa se em forma de um olhar, um gesto, uma palavra ou uma poesia.

Prazer em vir aqui...

Bjo

Tânia disse...

A imagem do seu layout é de Star Wars - Episódio V O Império Contra-Ataca?

*risos* Não pense que sou maluca, é que sou fã da saga.

Abraços

Ps.: Deixe eu sair de fininho antes que comente algo mais sem nexo...

Renato Couto disse...

Tania:
Se suas palavras não são poesia, são o que? Poesia (para mim) é como zen, te parafraseando:um olhar, um gesto, uma palavra...
A imagem, deixa eu tentar explicar, sabe quando estamos no blog e aparece lá em cima"próximo blog", pois fui clicando, clicando, até que me deparei com um blog, de um pintor alemão ou holandês(acho), fiquei doido com as telas e "pincei" esta. Mas nunca mais consegui localiza-lo, ainda estou caçando, até mesmo pra dar o devido crédito...

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Gostei do seu poema.
Xará, estou dando uma festa em comemoração às minhas melhoras.
Conto com a sua presença.
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo,
Renata
Há fogos de artifício, queijos da Provença, sucos e bolo, você vai gostar da minha festa virtual.

Dora disse...

" O sexo n�o ser� o mesmo sem n�s" foi uma bela "sacada". Ou um "achado", como dizem...
Em 1968, era proibido proibir, lembra? Ent�o, n�o deveria trancar poemas na gaveta!
Agora, em 2008,eu gostaria de ler, um por um...
Beijos, economista-poeta.
Dora

Dora disse...

Não sei se vai entender o que falei sobre a inversão de 1986- 1968(esqueci que vc não é daquela geração...rs).
Bjs.
Dora

loba disse...

Esquecer? Como poderia se a manhã renasce todo dia e a gaveta quebrou a tranca?
Nada é definitivo... nem o hábito de guardar pra si o que a gaveta quer mostrar ao mundo! rs
Eu amo te saber poema. Não que não ame tb o samurai, of course! rs...
Uns muitos beijos

Renato Couto disse...

Xará:
Estarei na sua festa...
Dora:
Primeiro obrigado, segundo, eu não tinha entendido mesmo(68?), hehe, e quanto aos poemas, mais ou menos um por mês, permite minha timidez, a prosa é como abrir um pequeno corte, a poesia, como uma cirurgia...
Loba:
Não deixe o economista escutar isso, hehe...O samurai não se importa, pois ele sabe que é o chefe..hhe