sábado, 9 de agosto de 2008

Dia dos Pais

Ninguém sabe o que é amor de verdade até ter filhos. Tenho dois:Leon e Thales, mas meu amor não é dividido, amava ( e amo) Leon, o mais velho, porém, quando nasceu Thales, este amor não foi dividido e sim duplicado, desta forma, não diminuiu o amor que eu tinha por Leon (repassando, por simples lógica matemática, para Thales) e sim nasceu um novo amor em igual intensidade.
Tenho o amor de um deus, que ama igualmente (deve) todos os seus filhos.
Mas por que uns nascem pobres e outros ricos? Uns nascem aleijados e outros perfeitos em mente e corpo? Agora que sou "o pai" entendo. Caso tivesse um dos filhos, com algum tipo de "problema" ou deficiência mental ou física, longe de mim os queridos espartanos, o amaria de igual forma, pois qual à razão de gritar contra a obra do acaso? A deficiência moral, esta sim imperdoável, o problema, é que a maioria dos deficientes morais de hoje, são filhos dos deficientes morais de ontem, afinal, filho de político, político é...


Eisnten disse que Deus não joga dados com o mundo e ninguém melhor que ele, para entender de análise combinatória, sendo muito mais versado em matemática que o abilolado do Nash (isso, aquele do filme "Uma mente brilhante"), por outro lado, o professor Hyppolyte Rivail andou pregando lá na França que o acaso não existe, assim como o besouro, assassinado anos depois por Chapman, vendeu milhões de disco cantando que o Karma irá nos pegar. Ah! Muito antes desses todos, Lao-Tsé escreveu que o acaso existe, mas podemos mudá-lo...
Cartum: http://www2.uol.com.br/allansieber/cartuns/elite.gif

5 comentários:

Dora disse...

Parabéns a você, afortunado pai de dois filhos.
Que eles lhe tragam mais alegria que tristeza, sempre!
Devido à combinação das inúmeras variáveis nas leis genéticas, um dos meus filhos nasceu com um cromossomo que se repartiu. Isso causa a síndrome de Down. Ou trissomia do cromossomo 21.
E o retardo mental...etc e tal.
Amo igualmente meus dois filhos.
Mas, não posso negar que sofro pelo que é "deficiente", dia após dia, todos os dias da minha vida.
Ei! Por que lhe disse isso?
Para você ficar mais feliz com seus filhos!!!!!!!
Beijos.
Dora

loba disse...

Para se entender o amor de um pai, só uma mãe. Para se entender o amor de uma mãe, só outra mãe!
Tá bom... vc merece todos os beijos pelo dia de ontem. Mas não menos por hoje, amanhã e todos os dias em que o amor será o tom maior da relação com seus filhos! Que todos os dias sejam dias de pais e filhos! Amém!
rs... agora vamos ao acaso. Acredito que ele exista sim, mas como Lao-Tsé, tenho certeza que posso dar uma mãozinha aos meus! rs...
Beijo de segunda!

Dora disse...

Ô Renato...Não se impressione com o fato de eu falar de Maiakóvisk. Eu disse "não foi"...No passado.
Eu andei brigando com poetas e escritores. Quando fiz o curso de Pós, virou até "gozação" prô meu lado: eu cismei que não curtia, de jeito nenhum, Rubem Fonseca...Quase me matavam, por isso! rs Porque, desde os professores e TODOS os colegas, era um amor só pelo escritor! rs
Mas, eu amadureço. Aos poucos.
E, às vezes, consigo entender minhas "rejeições"...
Beijão!
Dora

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Só um pai que ama realamente os seus filhos é capaz de dizer tudo o que vc disse. Lindo post. Também fiz um lindo post, vc não vai prestigiá-lo?
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
Um beijo,
Renata

Tânia disse...

Parabéns atrasado pelo dia dos pais e pelos filhos, que vc descreveu tão bem por estas linhas.
lembrei da crônica do Mainardi sobre os filhos, principalmente quando ele comemora cada vitória do filho que tem paralisia cerebral.
Se você quiser ler a crônica segue abaixo o link.

Beijo

http://www.jornaldepoesia.jor.br/diogomainardi.html#filho